Universo do design

Post Single Page

Sua estampa no estilo D.I.Y com a Lineogravura

Cinthia

In ESTAMPARIA Posted

Usar a técnica da xilogravura, ou lineogravura além de ser econômica, forma estampas com resultados incrivelmente originais, e o melhor, pode ser feita em casa de uma forma bem descomplicada.

     A estamparia arrebata muitos corações, não é de hoje que os olhinhos brilham ao encontro de uma peça estampada. Sendo um campo muito vasto e versátil, lembramos que existem várias formas de se criar uma estampa, dentre elas de forma totalmente manual e artesanal. É nessa história que entra a Xilogravura, ou lineogravura e por elas permeiam muitas dúvidas, afinal de contas como deve ser chamado? E como é feito o processo da estampa no estilo D.I.Y?

 

 

    Conhecido como Xilogravura, o processo de origem chinesa, tem como matéria-prima tradicional a madeira, que por sua vez requer muita técnica e domínio do artesão para fazer desenhos precisos. Falando da história dessa forma de estampar, tudo começou lá na idade média com os fenícios, eles usavam blocos de madeira para estampar linhos. No processo uma madeira era esculpida a fim de criar um relevo onde seria aplicada a tinta,  depois de aplicada a pressão entre o bloco e o tecido surgia então os padrões de estampas.

 

 

    Porém como tudo evolui, outros materiais de mais fácil manuseio passaram a ser usados no procedimento, como por exemplo, a placa de linóleo. O processo moderno passou a se chamar lineogravura. A placa que é impermeável, é feita da mistura de serragem de madeira e cortiça combinada com o óleo da linhaça. Ela surgiu com a função de revestir pisos, e desde a época que foi criada, no séc. XIX, os artistas começaram a utiliza-lá como matriz de impressão de gravuras com o mesmo processo que era feito a xilogravura. Picasso  e o brasileiro Lasar Segall foram uns dos artistas modernos que usaram as gravuras em linóleo.

 

Lasar Segall em Mulheres Errantes, e Linóleo em papel de Picasso

 

    A técnica da estampa no estilo D.I.Y consiste em usar uma goiva, para entalhar o linóleo e depois aplicar a tinta nas partes em relevo e logo em seguida a matriz é pressionada sob o papel ou tecido. O método se parece muito com carimbo que já conhecemos e por isso ele também se aplica aqui.

 

 

    Os carimbos seguem a mesma lógica, até porque todos participam do mesmo processo, esculpir a matéria-prima para criar o relevo que formará os desenhos. Diferente, os carimbos geralmente são menores e podem ser feitos de diferentes materiais, como legumes, borrachas, EVA e etc.   

 

    Desses processos de estampa no estilo D.I.Y nascem objetos muito criativos e singulares que servem para vestuário, decoração, personalização de objetos e muito mais.

 

 

    Uma das particularidades desse processo de estampa no estilo D.I.Y é a restrição do uso de cores, mas como assim? Calma isso não quer dizer que você terá que evitar o uso de cores distintas, e sim que para cada cor diferente que você quiser usar deverá ser feito um molde diferente. Isso porque as várias cores precisam ser aplicadas de forma individual para que uma tonalidade não invada o lugar da outra, e também para que não se perca a definição precisa no desenho, ou estampa perdendo assim qualidade.  Dá uma espiada no exemplo abaixo pra você entender melhor.

 

 

     Como já falamos anteriormente existem os mais diversos materiais que podem ser usados na hora de criar o seu molde, ou matriz para suas estampas. Mas como escolher o material certo?

     Tudo dependerá da finalidade em questão, se o seu foco é usar somente uma vez, ou poucas vezes e em baixa quantidade, você pode perfeitamente usar legumes, frutas, folhas, EVA, rolhas de vinho e outros materiais que possuam resistência e durabilidade menor. Porém se você quer guardar e usá-lo diversas vezes para reproduzir em quantidades maiores, você deverá optar por uma matéria-prima mais resistente e adequada, como por exemplo, as placas de linóleo que possuem opções com tamanhos variados, a borracha em placa macia, borrachas comuns e até mesmo a madeira.

     Mas você deve estar curioso mesmo é pelo conjunto de materiais modernos que compõem essa técnica da estampa no estilo D.I.Y , então vamos falar das melhores opções

 

Placa de linóleo

Mesmo sendo rara em lojas físicas, o material pode ser comprado de forma mais prática em lojas online, com tamanhos que variam de 05×12 até 30×40. Indico como melhor opção por ser fácil de manusear e mais fácil de ser adquirida.

Goivas

Existem vários modelos para diversas funções, dentre elas as goivas profissionais e para uso em xilogravura e também em lineogravura que como o próprio nome já diz, é usada em placas de linóleo.

 

Tintas

São inúmeras as possibilidades e o ideal, óbvio, é usar a tinta adequada para a superfície que você irá utilizar, então tome o cuidado de escolher a tinta de acordo com o material que irá trabalhar. Falando de tintas usadas para gravuras a ideal é a tipográfica, ou tinta para impressão, mas também se tem a opção de tintas a óleo que são mais espessas.

Baren

Usada para ajudar a esfregar e também na compressão da matriz contra a superfície em que será aplicada. Muitas pessoas também usam o rolo de massa de cozinha e conseguem um bom resultado.

Rolinho

Sem segredo algum, é usado para espalhar a tinta de forma uniforme e equilibrada sobre toda a extensão da matriz.

Placa de vidro

Usada para “amaciar” a tinta  e também aplicá-la no rolinho. O processo pode até ser feito por cima de alguma outra superfície, porém o vidro é ideal, pela facilidade de limpeza e extração de resíduos.

      Agora é só perder o medo de criar a sua estampa no estilo D.Y.I e personalizar seus objetos, ou até mesmo uma opção lucrativa. Gostou da matéria? então não deixe de comentar.

 

 

0 Comments

Leave a Comment